BLOG

FIQUE POR DENTRO

Elas estão moídas no seu chocolate, sobrevivem a até um mês sem cabeça e comem seres humanos vivos. (Agora a boa notícia: elas não resistiriam a um ataque nuclear). Conheça o nojento mundo dessa obra-prima da evolução: a barata

Existem mais de 350 espécies e pombos, que se diferenciam em vários aspectos. Porém não é necessário a identificação da espécie uma vez que não se utiliza produtos químicos para o controle deste vetor, uma vez que trata-se de um animal silvestre. Para este controle somente nos cabe a construção de barreiras físicas contra o acesso do mesmo aos locais.

É o único mamífero capaz de voar, sua alimentação varia de acordo com a espécie, cerca de três quartos alimentam-se de insetos (insetívoras), os demais se alimentam de frutos (frutívoros), de néctar e pólen das flores (nectarívoros), de pequenos vertebrados (carnívoros) e sangue (hematófagos). Há cerca de 1.070 espécies catalogadas, porém não temos o intuito de identificá-las, uma vez que o objetivo não é controlar, mas identificar a presença deste animal silvestre e apenas construir barreiras físicas para impedir o acesso do mesmo ao local.

Apesar de serem mamíferos, são denominados de roedores, pois sempre precisam roer algo para gastar os dentes incisivos, pois estes crescem cerca de 13cm por ano. Apresentam espaço vazio entre os dentes da frente e os do fundo, chamado de diatema, serve para testar e selecionar o alimento.

Fatality

Fatal em controle de pragas.

Rua Verona, nº 481 - Jardim Itália II, Várzea Paulista/SP.