As autoridades brasileiras estão se mobilizando para combater a praga com agrotóxicos pulverizados no solo e estudando também a possibilidade de empregar uma frota com mais de 400 aviões. Ainda não se sabe se o bando, com 40 milhões de gafanhotos por quilômetro quadrado, chegará mesmo à região. Alguns especialistas arriscam dizer.

A "chuva" de gafanhotos avança conforma as condições favoráveis que encontram pelo caminho, como tempo quente e seco, vento e alimento, condições que estão presentes no Rio Grande do Sul. Os gaúchos esperam, no entanto, a entrada de uma frente fria com chuvas, nesta quinta-feira, o que ajudaria na dispersão dos insetos.


Fonte: UOL