Entre os setores que são considerados essenciais, ou seja, que não podem parar, está o controle de pragas. Durante os períodos chuvosos do começo deste ano e as constantes oscilações de temperatura, o ambiente se tornou favorável ao  desenvolvimento do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya e também de escorpiões.

O contato com as pragas urbanas pode ocasionar doenças, que poderão levar as pessoas a buscarem atendimento médico. Com isso, o sistema de saúde ficará ainda mais sobrecarregado, em um momento tão delicado em que os casos de coronavírus crescem   diariamente no país, devemos nos preocupar com o controle efetivo de pragas em nossas residências, mais do que nunca.