1) Pombas

Atire a primeira pedra quem nunca ouviu a tradicional frase: pombas são ratos com asas. Atire uma pedra ainda maior quem nunca viveu, ou ouviu uma história dramática, em que o cocô desses “roedores alados” estava envolvido. Além das doenças “tradicionais”, como salmonela, toxoplasmose, e criptococose, os pombos, por enquanto apenas os da China, também são transmissores da H7N9, um novo tipo de gripe aviária que matou pelo menos 10 pessoas na China em abril deste ano.

Quer fazer sua parte para controlar essa praga? É só não imitar aquela clássica cena de filmes: alimentar pombos em parques.

2) Ratos

Muito comuns nas grandes cidades – há até quem diga que existem mais ratos do que pessoas em Nova York, São Paulo e Londres -, esses animais são uma grande ameaça para o homem. Os “pombos sem asas”, como são conhecidos, transmitem direta, ou indiretamente, mais de 55 doenças. Entre elas a leptospirose, a peste bubônica, a mesma da Idade Média, e a raiva.

Ficou com medo do roedor? Fique paranoico vendo como UM casal de ratos pode dar origem a até QUINZE MIL descendentes em um ano. Pera, cadê meu queijo que estava aqui?

3) Formigas

Acordar e ver aquele doce lindo e maravilhoso que você deixou para comer no dia seguinte coberto de formigas não é uma cena tão difícil de ver. O lado bom é que esses pequenos animais não vão te causar um mal maior do que acabar com seus doces. Elas podem causar dor de cabeça mesmo em hospitais, já que conseguem carregar fungos para vários lugares.

Quer se livrar de formigas? Há um jeito bem simples: desenhar barreiras com giz. Sim, formigas odeiam o carbonato de cálcio presente no giz.

4) Moscas

Existem mais de 120 mil espécies diferentes de moscas. É claro que alguma dessas vai entrar no seu quarto, afinal de contas, um mosquitinho pode viajar até três quilômetros em apenas um dia. As moscas preocupam porque podem carregar vírus, como o da tuberculose, e causar doenças como conjuntivite e diarreia.

As melhores maneiras para evitar a visita das moscas é fechar bem os sacos de lixo e não deixar que as comidas estraguem ou fiquem destampadas.

5) Caramujos Africanos

Você deve estar se perguntando: como um caramujo africano veio parar no Brasil? Bom, de acordo com a Vigilância Sanitária, ele foi trazido para ser uma alternativa ao escargot, aquela comida chique francesa. A ideia não deu certo, porque ninguém come caracol no Brasil e os caramujos acabaram sendo soltos na natureza. Sem terem predadores naturais em terras tupiniquins, eles se multiplicaram e infestaram todos os estados brasileiros.

Além de embrulhar o seu estomago, o caramujo africano serve como hospedeiro de dois vermes: o Angiostrongylus costaricensis e o Angiostrongylus cantonensis. O primeiro causa perfurações no intestino que podem levar a morte. O segundo é menos mortal. Ele só causa dores de cabeça e distúrbios no sistema nervoso.

A melhor maneira de evitar a contaminação é lavar bem frutas e verduras, já que os ovos desses vermes ficam na gosma que o caramujo deixa por onde passa.

Notícia extraída de: Super Interessante